Posted tagged ‘vergonha’

Brasil – penúltimo lugar em educação.

29/11/2012

Chegou a notícia de que o Brasil está em penúltimo lugar num ranking internacional sobre educação.

Primeira reação: vergonha! É vergonhoso e triste constatar que essa é a imagem do nosso país que é apresentada ao resto do planeta; que quase 4 milhões de nossas crianças vivem num universo em que a escola é uma ficção; que 63% dos moradores das áreas rurais, especialmente no norte e nordeste do país, não tem acesso a um colégio; que 3 em cada 10 adultos não conseguem entender o que estão lendo; que a maioria dos estudantes que tiveram contatos superficiais com algum método de ensino serão adultos com importantes deficiências na hora de obterem um trabalho com melhor remuneração.

Segunda reação: riso (por que parece uma piada – de mau gosto, mas uma piada)! A lista em que aparecemos em penúltimo lugar foi composta com 40 países, que MERECERAM o status de serem avaliados! Ou seja: nós AINDA estamos no grupo que recebe nota. Os governantes que mantêm o discurso sobre educação e o futuro das nossas crianças, entre outras babas eleitorais pra enganar otário, PODEM CONTINUAR usufruindo dos recursos que deveriam ser utilizados para melhorar aquelas estatísticas degradantes do parágrafo acima. Pois podemos perder um lugar e ainda continuaremos entre os 40 do topo!

Terceira reação: desânimo! Pois não verei a luz no fim desse túnel! Mesmo que hoje, agora, nesse exato momento, por um estalo de Dedos do Cara em Pessoa, todas as consciências fossem mudadas, e os eleitores acordassem de seus sono esplêndido para a necessidade de exigir soluções, e toda essa corja política que tem o poder para mudar a situação começasse a trabalhar, o tempo necessário para que uma mudança fosse notável, nessas condições especialíssimas, seria de uma geração. Deixo de presente esse sonho aos meus netos.

Confissão pública

22/10/2010

Só encontrei promessas vazias espremidas no quebra pau sem nenhum esclarecimento sobre a mágica para cumpri-las

Vou fazer uma confissão pública. Confesso que após as eleições de 3 de outubro eu pretendia, às escondidas, rever o meu posicionamento de anular o voto sistematicamente e votar em alguém. Eu sei que a justificativa de que agora passaram a ser só dois candidatos e as responsabilidades ficaram menos diluídas é fraca. Para tanto, isento de qualquer favoritismo (até muito pelo contrário), tirei de uma gaveta todo o meu interesse por política partidária, minha paciência, minha tolerância, e auto-estimulei uma vontade, previamente inexistente, de ler reportagens, de não clicar na mute nos programas gratuitos, e, sobretudo, de assistir aos debates. Desculpem-me. Mas eu fiz isto.

Fiquei até ontem procurando por ideologias partidárias, planos de governo, promessas de campanha embasadas numa planificação das receitas necessárias, ou qualquer outra coisa que transformasse minha apatia eleitoral em euforia cívica. Não encontrei as tais ideologias, mas uma salada de frutas em que a laranja acha que é uma banana e esta acha que um kiwi. Os planos foram trocados por um barraco nojento e vergonhoso que me fizeram duvidar da integridade moral do país. Só encontrei promessas vazias espremidas no quebra pau sem nenhum esclarecimento sobre a mágica para cumpri-las. Fiquei com náuseas. Senti pena. Acendi uma vela ao falecimento prematuro de minha euforia cívica e desliguei a TV.

Pronto. Confessei. E digo que Serra e Dilma, ou Dilma e Serra – porque esta dupla lida numa direção ou na outra tanto faz, eles se parecem em suas dessemelhanças – indiretamente me convenceram que o meu voto não precisava ser mudado. Que ele estava certo desde o início. Que a minha apatia era um posicionamento que reflete exatamente o nível desta campanha eleitoral: a nulidade. Portanto abro o meu voto: 99-Confirme!

DEM – Dinheiro Escondido na Meia!

02/12/2009

Cai mais uma máscara! Você ainda confia em políticos? Dirão os juristas: “Todos somos inocentes até que se prove a culpa”! Se, naquele vídeo, estivesse você escondendo dinheiro na meia, porque os bolsos já estavam cheios, alguém tem alguma dúvida de que a oratória seria:  “Contra as images escarradas gravadas por Durval  Barbosa não há argumentação!” O DEM (Democratas, antes PFL,  irmão do PDS,  filhos da Arena, sustentação da ditadura, numa sopa de letras que transformou o sapo em príncipe graças ao aculturamento nacional) vai investigar! Investigar? Exatamente o quê? Se o governador apenas coçou a canela? Se havia uma micose maior no saco, e portanto, e apenas por esta razão, não foram usadas as cuecas? E Rei Lula acha que “as imagens não falam por si” (contrariando a máxima de que uma imagem vale por mil palavras)!  Nosso rei pode dizer qualquer coisa com o respaldo dos pre-julgados Mensalão e Arquivamento-Sarney! Mas não quero dar à este pequeno texto, ou textículo, ares de tratado sobre a corrupção. Você, caro e ocasional leitor, tem alguma dúvida de quem são otários que continuam a confiar em políticos? Vou desenhar para ficar mais claro:

NÓS, OS QUE VOTAMOS, SOMOS OS OTÁRIOS!

Que paradoxo para os Arruda! Enquanto meteoricamente sobem as coxas de Geyse, despencam as canelas de José Roberto.

Brazil, o país dos tolos.

Tenho profunda vergonha de ser brasileiro!

06/08/2009

Viva o corporativismo!

Viva o fisiologismo!

Viva a impunidade!

Viva a maracutaia!

Viva o senado brasileiro!

Viva este povo estúpido que tudo aceita!

Viva o sistema político brasileiro que enaltece a falta de vergonha na cara!

Viva a juventude brasileira que aprende com a corrupção que não vale a pena buscar valores mais nobres.

Tenho profunda vergonha de ser brasileiro!