Posted tagged ‘política’

Fachin, o sorteado.

05/02/2017

Digitei Fachin no Google, para saber quem é esse novo personagem que, seguindo o script da desconcertante história nacional, usará sua rebuscada retórica pra justificar o injustificável. E vejam que surpresa o algoritmo googleano me aprontou com suas sugestões… STF eu sabia! Relator da Lava-Jato é a notícia da hora. Mas MST? Como assim? “Amigo do Lula” e petista?

Mudei para Edson Fachin! (O Google só podia estar falando de outro Fachin!) Mas deu a mesma coisa. O personagem não era tão novo assim!!! Era tão velho quanto a minha inocência…

(Na sequência alguns comentário…)

 Brasil das coincidências. (Carlos Souza)

As pessoas acham idiotice acreditar na teoria da conspiração… Mas, ironicamente, não se sentem idiotas acreditando na teoria da mera coincidência. (Jaime Maggi Fernandes)

Ambas (a da Conspiração e a da Mera Coincidência) são extremos. A teoria é de que os extremos apenas tentam ser definitivos, mas não conseguiriam obter a permanência necessária. Afinal, nada poderia explicar a eterna coincidência e nem a eterna conspiração. Ambas exigiriam uma idiotia universal e permanente e nem todo mundo seria completamente idiota, pelo menos não durante o tempo todo… Ou, pensando bem, talvez a Grande Corporação (minha teoria preferida!) apenas esteja esperneando em seu processo sucessório… Essa sim, a gigante translúcida e inodora, continua trocando de mão, pois não podemos esquecer que numa corrida de revesamento o bastão é o único objeto que corre a corrida toda. (Romacof)

Achas pouco plausível a idiotia ser (quase) universal e permanente? (Arthur Golgo Lucas)

É a fé, Arthur! É a fé! (Romacof)

O fato já era sabido  quando Fachin foi nomeado ao STF. Um escândalo, na época, exatamente pela questão ética, pois não apenas defendeu interesses objetivos do PT como subiu no palanque, nas eleições, em defesa da Dilma. E o “sorteio” na segunda turma não é exatamente aleatório… O sistema calcula o número de processos que cada ministro tem sob sua responsabilidade e ganha quem tiver menos. Quem tinha menos processos e foi para a segunda turma? Não foi casualidade.(Elisa Gomes)

Morreu Teori Zavascki!

20/01/2017

Quando morre alguém, cuja morte poderia beneficiar alguém ou um grupo de pessoas, sempre é correto perguntar: “Quem se beneficiaria com a morte dessa pessoa?” É o que polícia faz toda vez que a causa mortis não é natural, mas acidental ou suspeita; ainda mais quando a vida e o trabalho da pessoa que morreu está diretamente atrelada à vida e aos atos de incontáveis criminosos. Se nós não fizermos essa pergunta estaremos banalizando a morte, ou sendo incompetentes, ou estúpidos, ou cúmplices.

Roubar pode se prender não pode?

04/03/2016

Fiquem tranquilos! O Mensalão não existiu! O Petrolão é uma fantasia. Não há uma crise econômica. A pretensa crise política é somente uma manobra oposicionista para desestabilizar o governo. E o Lula não precisa se preocupar porque nada pode ser provado sobre alguém que não sabe de nada.
Será que março de 2016 vai entrar para a história? Pelo menos essa  é a esperança daqueles que empurram os problemas nacionais com a barriga, a despeito de toda torcida contrária dos corruptos de ocasião.

Os líderes do PT, referindo-se à condução coercitiva a que Lula foi submetido para prestar esclarecimentos à polícia, dizem que “essa manobra da Operação Lava-Jato é ilegal, descabida, de cunho político e fere a Constituição.”  Membros do Supremo Tribunal Federal dizem que “ninguém está acima da lei”. Lula, acuado, dizia que “o Lulinha paz e amor acabou… se for necessário vou pro pau… e tenho certeza que o exército do companheiro Stédile não vai me deixar na mão…”

Recomenda-se juntar as peças ou tomar um medicamento pra memória. Qualquer um tem todo o direito de se sentir injuriado e sem chão depois que fica demonstrado que a sua bandeira tremulava sob premissas falsas, mas continuar a afirmar que isso não é verdade já escancara a absoluta falta de bom senso. Enquanto alguns gritam: “Lula, guerreiro do povo brasileiro”, o povo brasileiro, o verdadeiro guerreiro, tem pago a conta…

A herança do PT!

03/02/2016

Em 10/02/16 o PT completa 36 anos. Nesse período alcançou números impressionantes e foi protagonista de fatos importantes em nossa história recente: Tem a maior bancada do Congresso e conquistou quatro mandatos presidenciais… Gerou o maior rombo econômico da história… E uma decepção imensurável, para quem acreditou que essa força nova poderia redimir moralmente a nação… Criou o pensamento mágico de que é possível respirar o poder sem saber de nada… Prometeu salvar o país e se aliou aos ladrões, afogando, de forma fantástica, a nossa esperança em encontrar gestores públicos confiáveis… Enfim, jogou o P e o T na velha e azeda sopa de letrinhas da canalhice da política nacional… É uma herança e tanto!

E eu votei 5 vezes no PT! Duas para vereador, uma para prefeito e duas vezes para presidente! Duas vezes no Lula…!!! Que Deus me perdoe!

Vote! Eleja o ladrão!

02/12/2015

E eles roubam…
… insensíveis às mazelas sociais,
…às crianças que choram seus pais,
…às mães cansadas de ais.
E eles debocham,…
…sorrindo, indiferentes,
…destruindo, negligentes,
…desfazendo, incompetentes.
E a lei lhes é morosa e branda…
…porque provas são apenas perfumes,
…eles vivem em casas imunes,
…frutos dos nossos costumes.
Enquanto isso você vota e torce,
…transformado, perdendo a razão,
…virando as costas a irmão,
…gritando, em toda eleição:
…Vote! Eleja o ladrão!

Dúvidas que nos batem quando vai chegando uma nova eleição!

27/05/2014

1) Quando um candidato perde um eleitor isso significa que aquele eleitor deixou de ser cúmplice daquele candidato?

2) A mudança de escolha nos inocenta ou só mudam as razões para nos sentirmos culpados posteriormente?

3) Assim como as loterias acumulam, quando ninguém acerta, não poderíamos ter uma eleição acumulada, com ninguém eleito, quando não há possibilidades de alguém realmente votar de forma acertada?

4) Se todos os candidatos prometem as mesmas coisas e todos criticam as coisas que os outros prometem o silogismo pertinente não seria de que todos não acreditam no que eles mesmos dizem?

5) Se propaganda enganosa é crime, um reclame contando histórias perfumadas sobre algo que todos sabemos que fede, não mereceria um enquadramento legal adequado?

6) Se as acusações de parte a parte são falsas, mas continuam correndo soltas, isso significa que está tudo liberado e ninguém precisa provar mais nada?

7) Se as acusações de parte a parte são falsas, mas os acusados não reclamam judicialmente, será que elas são realmente falsas?

8) Se as acusações de parte a parte são verdadeiras, sobra alguém em quem possamos confiar?

9) Devo explicar para o meu filho que uma eleição é um processo pelo qual escolhemos o menos ruim?

10) Dá para acreditar naquela história de que a corporação, ligada por fisiologismos e que nos rouba descaradamente, um dia vai acabar?

Será que ninguém vê? (002)

30/08/2013

Será que ninguém vê
que um deputado ladrão
usa o nosso voto na prisão
como jornal, ou outro papel,
para não usar o dedo como pincel?