Posted tagged ‘indignação’

Seja dono do seu país.

23/04/2017

A política apodreceu! Cheira mal! Alguém não notou? A consciência média dos políticos, o que tomam como moralmente certo ou errado, revela verdadeiros psicopatas. Dessas criaturas, apartadas da humanidade, chafurdando na corrupção, não nascerão soluções para a nossa absurda crise de competência. A atual atividade política está totalmente focada na arte de parir artifícios que perpetuem a imunidade no usufruto do crime. Depois, o conluio dos três poderes, apurando as responsabilidades, se perguntará: o zé-povo povo soube “votar-da-forma-correta”? Pois, é sabido, “tudo-isto-que-aí-está” é fruto da “imaturidade-democrática-do-povo-brasileiro”. Se “todo o poder emana do povo”, a culpa só pode ser de quem exerce o poder! E deles! dirão gravatas e togas! Pura matemática! A responsabilidade deles começa no voto e continua na hora de pagar a conta, quando eventuais incompetentes enterrarem o país,

Em 2005, no Referendo do Desarmamento, 64% dos eleitores foram contra a proibição, mas, mesmo assim, o governo nos desarmou. Não os criminosos, apenas os não criminosos. E depois virou as costas para as questões de segurança e se esqueceu do assunto. Mas ainda nos deixou uma arma. O voto.

Você é obrigado por lei a votar. Mas não é obrigado a dar seu aval aos canalhas. Também sabemos que voto nulo não anula eleição. Se apenas o próprio canalha votar em si aquela eleição estará legitimada! Não se escandalize! É a lei! Mas esse eleito terá credibilidade? O atual processo eletivo, a farsa que nos querem fazer engolir, unge um bando de inaptos mal intencionados como imunes e é visto como a fórmula perfeita em nossa fantasia democrática. Precisamos sacudir os fazedores de leis. Nas últimas eleições a soma dos nulos, brancos e abstenções sobrepujou o número de votos dos vencedores nas principais capitais do país. Essa soma representou 26,5% dos votos em 2012 e 32,5% dos votos em 2016. A desilusão e a indignação popular com a classe política cresceram sensivelmente desde então. Todos os partidos estão sujos. Todas as lideranças estão sujas Queremos e merecemos uma reforma na consciência dos políticos e não uma reforma política feita por políticos comprometidos. Podemos e temos o poder de balançar as estruturas em 2018. Se você não é um idiota e não é um cúmplice, diga não aos sociopatas. Seja dono do seu país.

A tentativa de pagar uma conta num país surreal!

13/02/2015

É nessas horas que eu fico pensando no correntista iletrado que espera o auxílio de um funcionário do banco (qualquer banco) para resolver suas pequenas pendências junto ao caixa eletrônico ou para sacar aquele dinheirinho que não permite poupanças.

Não disponho de telefones ou serviços da OI há 90 dias ou mais. Os celulares foram transferidos para outra operadora, a internet foi substituída por sistema a rádio, e o fixo foi cancelado após o longo processo de desconstrução pela OI, que matou definitivamente qualquer utilidade daquele telefone como canal de comunicação com meus pacientes.

Num mundo normal seria de esperar a não cobrança por algo inexistente, ou que não está sendo oferecido, no entanto, mesmo depois de tudo que foi descrito no parágrafo anterior, a OI continuou a cobrar pelos seus “serviços” imaginários. Acordei de minha fé idiota e formalizei junto a OI (admito que com com certo atraso) o cancelamento daquilo que já não existia há 3 meses. Suspendi o débito em conta no Banco do Brasil e fiquei atento à entrega, pelo correio, de qualquer conta com resíduos de “serviços” anteriores à data do protocolamento (201566441795), que, embora injustos, refletiam a minha falha em não ter percebido a possibilidade de mais aquele aspecto da má gerência da operadora (ou da má intencionalidade proposital até que alguém reclamasse!).

Quando veio a conta pelo correio (e aqui é que eu fico pensando nos pequenos usuários dos serviços vinculados aos sistemas interligados!) fui ao Banco do Brasil, na véspera do vencimento, para pagar o resíduo, utópico e burocrático de R$ 233,40, referente a um telefone inexistente. O caixa me disse que não podia receber porque não havia um código de barras e me sugeriu uma lotérica, porque eles podiam receber tendo como dado apenas o número do telefone. Na lotérica, após reexplicar a novela, a atendente tentou cobrar, mas barrou na informação do sistema que disse que não podia cobrar uma conta de um telefone que não existia, e me aconselhou a procurar a ANATEL para que fosse gerado um código de barras específico para aquela situação. Retornando ao Banco do Brasil me foi facilitada uma ponte com a Anatel que, depois de conferir os caminhos possíveis com a OI, me forneceu o código de barras (846500000027 334000020001 908313201505 201182000004). O Banco do Brasil me aconselhou a pagar via internet, porque o site do banco oferecia essa facilidade. Em frente ao computador, depois de desdobrar os trâmites necessários para efetuar o pagamento, surgiu a seguinte mensagem:

POR RAZÕES DE SEGURANÇA ESTA TRANSAÇÃO NÃO PODERÁ SER EFETUADA NESTE CANAL. DIRIJA-SE AO CAIXA ELETRÔNICO OU AGÊNCIA BB. (G999-501)

Nessa hora você se sente como aquele cachorro que tenta em vão morder o próprio rabo! Andando eternamente em círculos, em busca de uma solução que se apresenta impossível, para uma questão surreal.

Futebol em Brasilia.

15/06/2013

Que contrassenso! Você que foi ao estádio e vaiou Dilma não deve estar pensando claramente! Até é possível que você esteja indignado com a corrupção e o superfaturamento na construção dos elefantes brancos. Quem sabe possamos reconhecer verdades em seus comentários sobre a falta de melhorias urbanas que permaneçam e favoreçam os nativos após o fim do evento governado pela FIFA. Tudo isso pode ser real, mas você não tem o direito de vaiar. Se você quer protestar, não vá. Não vá vaiar! Apenas não vá! Mostre que aquilo tudo não era o que você realmente queria e nem o que merecia. Não pague pelo evento que você já pagou! Você já aplaude indo, mesmo fingindo que está vaiando! Você já votou, já pagou o imposto que foi usado para enaltecer esse tipo de programa, já pagou o ingresso para ir ao jogo e, agora, vai vaiar? Não percebe que, estando lá, você já está dizendo amém? Isso é burrice pela quarta vez. A menos que você tenha prazer quando leva bala de borracha dos não pensantes. A menos que goste de rir enquanto está sendo roubado. A menos que o importante seja a cerveja e o resto que se exploda.

Como ser feliz!

30/09/2011

…o parlamentar é um empregado nosso que foi contratado para votar nas inúmeras coisas nas quais, em princípio, seriam necessárias as nossas opiniões, mas não podemos estar lá, por que temos que trabalhar para que o país ande…

 

CHEGA! A partir de hoje o assunto política está banido do Cágado! Este é o último post a respeito. (Como se os ladrões da ocasião estivessem preocupados com isto!) Vamos brindar ao arquivamento das denúncias contra Valdemar Costa Neto. Brindemos também ao voto secreto daqueles em quem nós votamos para que não votassem secretamente nas coisas que são de nosso interesse. Afinal, em última análise, o parlamentar é um empregado nosso que foi contratado para votar nos assuntos sobre os quais seria necessária a nossa opinião, mas nós não podemos estar lá, por que temos que trabalhar para que o país ande. O mínimo que se espera deles é que votem certo! Mas para isto precisamos saber como eles estão votando! (Tão simples!) Contudo as manhas do fisiologismo permitem que os nossos empregados trabalhem em segredo! Votando não pelo interesse daqueles que os elegeram, mas pelo interesse deles próprios, secretamente, em conluio, como fazem os bons profissionais do ramo, que têm tudo a esconder, seus rabos presos, suas rapinagens, e Deus saiba mais o quê! (Parece piada!) Brindemos ao bonitão do mensalão e às suas declarações emblemáticas tais como “…quero que vossas senhorias provem as infâmias que dizem contra minha ilibada conduta…”, enquanto a própria mulher (do nobre deputado) afirmava que muitas vezes observara as malas de dinheiro circularem em torno de Valdemar. (Águas passadas!). Brindemos à sua renúncia para evitar a cassação. Brindemos à sua reeleição guinchado pelo fenômeno Tiririca. (Povo burro, no fim, deve comer capim!) Falando de Vavá (Ficamos íntimos nos últimos anos!), brindemos à sua ação “regularizadora”, mais recentemente, no quem-vence-as-licitações no Ministério dos Transportes. E brindemos, fechando o círculo, ao arquivamento das denuncias contra ele. De tabela podemos brindar às lágrimas de Jaqueline Roriz. E brindemos, de forma mais abrangente, à pouca vergonha na cara do parlamento brasileiro (onde é difícil acreditar que haja alguém honrado, pois se existisse tal hipotético alienígena, hoje ele deveria estar berrando de indignação!). E por último, brindemos! Pois uma coisa é certa! Eles estão brindando e rindo das nossas caras! CONTINUEM VOTANDO NELES, PANACAS!

Minha esposa fez um comentário ao meu discurso apoplético sobre a falta de ética vomitada em nossas caras. (Ética, para quem não sabe, é aquela senhora gorda que foi esfaqueada pela classe política desse país!): “Pra que ficar deprimido e enfartar? Nós não podemos fazer nada! Eles é que fazem as regras do jogo! Sempre foi assim!” E é verdade! O idiota aqui é que não tinha chegado a uma constatação tão óbvia. Daqui pra frente vou reduzir minhas atividades políticas à: 1) Não votar, 2) sonegar, e 3) sacanear políticos! É mais divertido, mais econômico, e não faz mal às coronárias.

Não vou mais me sentir chupando um prego até virar parafuso! É quase como ser feliz!

 

(obs: a foto-montagem  na abertura foi feita a partir de inúmeras chupadas googleanas sem pudor e sem lembrar de guardar os links para dar os créditos a quem merece – perdoem-me os chupados!)

Caras Pintadas – edição 2011.

07/09/2011

Caras Pintadas!
Há empregados seus roubando!
Prestem atenção!
Não seria mais gratificante trabalhar sabendo que não há alguém nessa má ação?
E o pior!
Nós contratamos essa gente quando eles disseram: “Vote”!
Não nos disseram que depois teríamos que só contar com o a sorte!
Pare e pense.
Passe adiante essa reflexão.
Chega de corrupção!

Vendo têmpera verde e amarela.
Há azuis de todos os tipos em grande promoção.
Vale do Chui ao Oiapoque!
(Pincéis grátis enquanto durar o estoque.)

Hoje (07/09/2011), em 17 estados do país, um movimento popular nascido nas redes sociais da internet se prepara em passeata para mostrar os “Caras Pintadas Contra a Corrupção”. Um grito em verde-amarelo, com o único desejo de mandar um recado para os políticos do país: “Agora Chega!” O mesmo nome do site que a OAB-RS lança hoje. Sobre o mesmo assunto que os incontáveis blogs do país vomitam já há algum tempo. Sobre a notícia velha e batida pela mídia, que só não é chata por que a surpresa nunca termina, graças ao inesgotável poder podre da classe política de não nos deixar esquecê-la, todos os dias, em cada nova chamada sobre as ações do parlamento, ou de um ministério, ou sobre uma sentença inacreditável, ou sobre mais um desvio bilionário.

Esse grito não tem bandeiras ou vínculos com centrais sindicais, partidos ou uniões. Mesmo por que estes “órgãos de representação” estão muito envolvidos com as engrenagens políticas para realmente serem representantes populares. A ausência da CUT estadual é explicada pelo presidente Celso Woyciechowki quando diz: “Não vamos nos somar a um movimento cuja origem é desconhecida. Não há um caráter de transparência. Somos contra a corrupção, mas participamos de movimentos da sociedade organizada, não de manifestações obscuras.” Não gostaríamos de discutir com Celso onde deveria ser aplicada a transparência, não é verdade? Mas concordamos, ou somos obrigados a concordar com ele quando observamos a forma como a classe política trata o povo ou suas manifestações: o povo realmente é um desconhecido, um obscuro e um desorganizado. Só está organizado nas eleições. Quando é útil! Embora nessa hora quem o organize seja a sociedade organizada, e interessada!

Os sonhos do bobo da corte!

04/09/2011

Há momentos em que releio o que escrevi com enfoque político, e percebo o quanto posso ser inocente, ou simplório, ou idiota. Não em descrever um determinado momento ou expor o desejo de que algo mude na consciência de alguns políticos. Mas sim em imaginar que isso seja possível.  Nesse quesito, antes de qualquer coisa, é necessário estar convicto de que a classe política é um exato reflexo da fatia da humanidade que ela representa. A humanidade mostra sinais extemporâneos de que quer o bem, mas naufraga na podridão quando lhe são retirados os suportes tecnológicos que a maquia; a borra política, mesmo maquiada e culta, acaba desenhando no fundo da xícara o que vai na alma de seus representados. Que lástima!

Esta utópica anarquia surreal que vejo em sonhos não é possível com seres humanos. De forma alguma agora, e quase certamente nem em milhares de anos.  É necessária uma mudança absoluta na mente das pessoas. Tão absoluta que nós não estaremos mais aqui nem como espécie para vê-la. Que lástima!

Há quem afirme que o ser humano chegou a um beco evolutivo. Num exercício comparativo poderíamos pegar um homem de trinta mil anos atrás, que tivesse conhecido o último Neanderthal, instruí-lo sobre os macetes da civilização, dar um banho de loja nele, e sentá-lo na praça de alimentação de um shopping que ele não seria notado pelo homem moderno. Num caminho inverso poderíamos apagar a luz, desligar os satélites de comunicação, esvaziar os supermercados e sabotar uma meia dúzia de serviços para que o homem moderno perca todo o seu verniz civilizatório e regrida à barbárie. Não há mais necessidade de evoluir. Enquanto alguém ganhar dinheiro produzindo conforto e alguém tiver fundos em seu cartão de créditos a civilização estará salva. E a civilização é a máquina que permite que haja avanços e melhorias em termos de conhecimento e tecnologia. Mas a evolução natural da espécie humana; esta já morreu. Que triste!

Quem sabe só estejamos aqui para servirmos de incubadores para o próximo passo? Isso é o que se vislumbra quando se observa a possibilidade de que o homem venha a manipular geneticamente o seu futuro. Então poderá nascer algo melhor! Quem sabe!

Mas enquanto isso não acontece alguém deve manter acesa a chama do bobo da corte. Alguém deve bancar o idiota para lembrar aos candidatos a rei de que eles também são uns sacos de estopa cheios de bosta e que um dia vão apodrecer e feder como toda a massa plebéia. Não que a maioria deles se toque! Vamos ser realistas! A psicopatia política não prevê melhorias desse nível.

A pedido de Umav Ozatroz.

25/08/2011

Na verdade, a nave segue seu rumo
a despeito de quem o leme tome,
pois os que lidam para que haja um prumo
são aqueles que combatem a fome.

Os políticos, ou os donos da lei,
não atrapalhando já fazem um favor.
Que brinquem de corte e rei
e deixem as contas pra quem tem valor.

Eu, você, os surpresos e indignados,
que assistem impotentes à orgia
dos empregados eleitos e diplomados
que roubam daquele que realmente cria.