Sexo Seguro

Na faculdade, há 40 anos, corria uma piada, agora velha, mas que exemplificava perfeitamente as conseqüências do sexo sem camisinha:

O estancieiro rico mandou o filho pra capital “pra estudar pra ser engenheiro-construtor”. Lá, o estudante, longe da censura paterna e se sentindo abonado com a mesada que recebia se tornou um assíduo freqüentador dos mais chiques bordéis. Todo mês fazia uma relação de suas despesas e mandava para o pai, numa carta, para que o velho continuasse a fazer os repasses de acordo com as suas necessidades. Assim, escrevia: “Faculdade: 800 contos; aluguel: 600 contos; alimentação: 400 contos; livros: 300 contos; vestuário: 200 contos; locomoção: 100 contos…” E, cuidando para não chocar o pai com a natureza de suas atividades extracurriculares, acrescentava: “… marteladas: 4.000 contos.” O pai, não entrando no mérito do que seriam as marteladas, ou julgando que aquilo deveria ser algo relacionado com a faculdade, fielmente mandava o dinheiro.

Aconteceu que a pecuária passou por momentos difíceis e começou a ficar caro para o estancieiro sustentar o filho na capital. Então o velho mandou uma carta explicando a situação e acrescentou uma nota em que dizia: “Se possível, procura diminuir as despesas nas marteladas!” O filho até que tentou e nas cartas seguintes escrevia: “… marteladas: 2.000 contos.” Mas o pai do guri, se vendo cada vez mais apertado, mandou um telegrama: “Situação difícil! Manera nas marteladas!” E a resposta imediata passou a ser: “… marteladas: 1.000 contos.” E depois um compadre do velho passou pela capital, encontrou o estudante, e disse: “Olha! A situação do teu pai está desesperadora! Corta essas marteladas ou ele vai mandar chamar você de volta pra estância!” E o relatório mensal de despesas começou a contar com coisas do tipo: “… marteladas: 100 contos.” E depois: “… marteladas: 50 contos.” E ainda: “… marteladas: 10 contos.” E por fim, para alívio do pai do esforçado martelador, foram suspensas as referências a quaisquer despesas com marteladas.

Dois meses depois o estancieiro recebeu um telegrama lacônico: “Conserto do martelo: 30.000 contos.”

Naquela época não se falava em camisinha. Uma temida doença venérea poderia ser tratada com antibióticos e no máximo tiraria o guerreiro da luta por algum tempo ou prometeria uma prostatite para o futuro. Os cuidados se resumiam em ter certeza se a guria não era menor, nem de família, se usava pílula, e se, apesar de todas as precauções, não ficara embuchada.

Pois hoje, com tudo que se sabe sobre prevenção, com tudo que é propagado e ensinado, ainda tem esperto que me aparece com gonorréia ou sífilis, argumentando que transar com camisinha é a mesma coisa que chupar bala sem tirar do papel.

Pelo menos vão pensar assim até que o martelo apodreça e caia.

Anúncios
Explore posts in the same categories: Piadas, Realidade

Tags: , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

6 Comentários em “Sexo Seguro”


  1. senti uma forte correlação entre a postagem anterior e essa…
    ou será que é uma mensagem subliminar da anterior preparando para essa? Não sei… fiquei confuso…

    • romacof Says:

      Caro Mauro! Na gíria a expressão “deu pau” significa quase a mesma coisa que “apodreceu o martelo”. Só que na primeira nos referimos aos estrago de martelos e outras ferramentas enquanto na segunda nos referimos ao real apodrecimento de uma “ferramenta” específica que “deu pau” sem poder mais ser usada como tal. 😀


  2. ehehehe… à parte as brincadeiras, que loucura isso de não usar preservativo. Olha o nome, preservativo… quem não quer usar é pq só tem o sexo no martelo, a cabeça de cima (que deveria ser a principal) não toma parte no processo…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: