Só pra acordar!

Vocês notaram a coisa impressionante que está acontecendo no Japão? Não me refiro ao terremoto, ou ao tsunami, ou ao desastre atômico.  Estou falando do fato de que lá não há saques, e de que ninguém fura a fila. Impressionante!

O Natal veio e foi. Assim como o Ano Novo. O Brasil tirou férias. O Carnaval já é passado. Maria faturou o BBB e agora já sabemos que “um século tem dez anos”. A base da pirâmide voltou às aulas. Da metade pra cima os produtivos se desentorpecem do etilismo praiano e começam a tatear os bolsos pra saberem onde foram roubados. Ao fundo o leão da receita produz faíscas ao afiar as unhas e já podemos ouvir os seus rugidos cada vez mais próximos. A vida se retorce em seu recomeço enfarado. Ouço um “oi” de Lya anunciando que já há pensamentos no planeta. Então eu tenho umas coisinhas pra dizer.

Afinal! Será que há remédio?  A prescrição dos antibióticos foi normatizada? Quem fura o sistema? O médico? A farmácia? O produtor? A distribuidora? O usuário? A fiscalização? Todos? Alguns? A quem interessa o cumprimento da norma? A quem interessa o não cumprimento? Como burlar a lei? Quem perde com isto? Quem ganha com isto? Vale a pena mexer nesta lata de merda? É melhor deixar como está para ver como é que fica? Quem quer saber a resposta a estas perguntas? Quem quer dar palpites e começar uma discussão? Falar sobre Isto resolve alguma coisa? Os medicamentos básicos para hipertensão e diabetes, fornecidos gratuitamente pelo governo através das farmácias populares, representam um avanço social? Esqueçam os ganhos políticos agregados a qualquer processo semelhante! É tão difícil absorver algo bom sem pensar numa forma de ganhar algo mais?

No início se falou do Japão. Lá, distante diametralmente 12 mil quilômetros sob nossos pés, no outro lado da esfera planetária, onde nossos irmãos antípodas parecem desconhecer inocentemente o jeitinho patropi de levar vantagem em tudo, o medicamento gratuito recebido seria visto como um direito adquirido perfeitamente justificado, como parte do retorno da carga tributária, em resposta à participação coletiva e cooperativa da massa, mas que, em contrapartida, exigiria uma crescente responsabilidade do usuário, não como forma de pagamento, mas como uma demonstração de que existe uma consciência de que “o que é público não é só meu, mas é de todos.”  Em nosso país é necessário o entendimento de que é possível usufruir de uma vantagem sem mamar. É necessário que o povo aprenda que não é necessário roubar o que já está sendo dado. Assim os mais lentos ou os mais carentes de recursos poderão chegar até a fonte antes que ela seque. Será que temos algum futuro como sociedade altruísta? Uma mudança na maneira de pensar vigente, se não servir pra nada, pelo menos pode servir de exemplo aos políticos. Quem sabe eles aprendem alguma coisa!

Será que só há perguntas?

Anúncios
Explore posts in the same categories: Medicamentos, Realidade

Tags: , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

15 Comentários em “Só pra acordar!”


  1. Quando adquiriste a capaciade de ler pensamentos?

    Eu estava pensando em escrever sobre antibióticos já há alguns dias. Agora mesmo é que não deixo de escrever sobre o que passei. 🙂

    • romacof Says:

      Primeiro a resposta: Desde sempre! 😉 ! Quando for do interesse trocar figurinha estou a disposição. Como você deve inferir, este assunto escorrega pelos meus dedos todos os dias e eu não sei se a piada está na regra ou no desregramento. Passei as férias observando a “Lei de Gerson” sendo aplicada à revelia da norma técnica da Anvisa. Planejaram uma panela e saiu um escorredor de massa! Ou talvez da massa, sempre hábil em descobrir e usar os desvios. “Côsas brasís”! O “Só pra acordar” pretende ser uma chamada para este assunto. Afinal! Medicamento é melhor tomar com cuidado pois no cu-é-dado!

  2. Franci23 Says:

    Bom te ver de volta a ativa, estava com saudades de teus textos.
    Enquanto aos modos inoperantes do Brasil, prefiro nem comentar.

  3. Li Says:

    Bom te ver novamente.

    Um povo é o que deseja ser.

    Os brasileiros não querem ser brasileiros,é feio,triste,e de um engessamento absurdo,mas fazer o que ?

    Cada um que seja o que conseguir ser.

    Nem fale em placebos…..é o que mais tem.

    Morrer não deve ser tão ruim.

  4. Li Says:

    Como eu queria viver na Finlândia.

    Não posso,vou tentar uma Finlândia aqui mesmo.

    …..e AGORA.

    Quero ser o 1 de Faulkner,aquele homem que faz a diferença,por ser louco o suficiênte para tentar uma aventura,ou por estar com tanta dor,que já não sente nada.

    Quero um exército de Brancaleone,um exército de
    farrapos,de gente que já ultrapassou todos os limites do suportável.

    Chega desse mundinho estagnado e virtual,lojinha de brinquedos,de mentirinha.

    Este é um mundo poderoso,de resultados imediatos,de uma alcance fantástico,basta saber como usa-lo.

    Vamos urdir um mundo de consciência ativa,de ações concretas.

    Vamos fazer deste lugar a Finlândia que desejamos para o futuro,que o futuro é aqui e agora.

    Estou convocando soldados para uma guerra,gente que ainda é capaz de sentir a dor alheia.
    Que ainda é capaz de sonhar.

    Alguém viu o Globo Repórter de hoje ?

  5. Li Says:

    Criei,pela energia que as coissas possuem,uma comunidade fantasma no Orkut…GUERRA DOS VAGA-LUMES….

    Enviei email para todos da minha lista de endereços.

    Estou falando com todas as pessoas que encontro,e que querem ouvir,rs.

    É um começo parco,mas …..

    Temos o poder do voto,essa coisa inútil para a maioria.

    Vamos usá-lo.

    Temos um poder que não depende de congresso,nem de políticos,tampouco de corrupção.
    Depende de nós.

    Todos os políticos precisam de um certo número de votos para assumirem o mandato.

    Que tenham votos,sempre vão ter….o que vamos fazer é impedí-los de usarem o poder contra nós.

    Se não votarem a lei que OBRIGA os políticos a usarem escolas públicas,o SUS,e o
    mesmo transporte público que usamos….eles não terão como chegar ao parlamento.

    Simples assim,nossa geuerra é justa,limpa e exequível.

    Contra a burrice deles,temos nossa inteligência.

    Exigir que os políticos melhorem as coisas que necessitam,é só o começo.

    Se eles não dependerem dessas coisas,elas jamais irão melhorar.

    Obrigá-los a melhorar o que é nosso….essa é a idéia.

    Toda caminhada começa com o primeiro passo.

    • romacof Says:

      Li! Traga a essência da guerra dos vagalumes para um comentário. Não tenho Orkut. Já tive e naufraguei no nada. Cometi orkuticidio por desgosto. Um abraço.

  6. Li Says:

    GUERRA DOS VAGA-LUMES.
    Amorosamente declaramos uma guerra pelos nossos direitos.

    Exigimos que:

    Os políticos ponham seus filhos em ESCOLAS PÚBLICAS.

    Os políticos façam uso do SUS.

    Os políticos usem TRANSPORTE PÚBLICO.

    Equanto estiverem no exercício de seus MANDATOS.

    Sozinhos somos 1,unidos somos milhões.

    Seja você também um SOLDALO-LUME.

    A luz e a força já estão dentro de nós.

    Nós podemos ganhar essa guerra.

    Venha lutar por esse sonho.
    Sonhe com a gente.
    Ajude a torná-lo realidade.

    Brasil, ame-o!

    Esse é o começo….se tiveres uma idéia melhor.

  7. Li Says:

    Seja você também um SOLDADO-LUME

  8. Li Says:

    A Finlândia levou 70 anos para sair da miséria,qualquer começo é melhor que nada.

    Já és um lume nesta escuridão.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: