A verdadeira história de como nasceu a vaca que mijava combustível.

Doutor, doutor! O que o senhor poderia nos dizer sobre a notícia de que todos os canhotos serão presos para evitar acidentes de trânsito? Veja bem! Quem bebe perde o senso. Não é contado pelo IBGE, logo não existe, perde os direitos. Fica só com os esquerdos. Logo, a pessoa que bebe é um canhoto, e inversamente o canhoto é um alcoólatra compulsório em potencial. É um simples silogismo solucionático de um grave problema que assola a sociedade brasileira e que vem terminar com aquela história de que político não trabalha, só rouba, e as outras coisa que vocês vivem dizendo por aí. Mas e a filmagem nobre parlamentar? Pura sacanagem midiática. Um filme passado de trás pra frente. Nós rezamos, depois sentamos, eu tirei a grana das meias, porque aqui tem muito ladrão, você sabe disto, e eu dei a grana pros irmãos. Mas só pros irmãos? No sentido bíblico! Vocês da imprensa levam tudo para o outro lado. Irmãos em Cristo, entende? Ah! agora entendi. E o projeto sobre o subsídio para o cultivo da cana? Veja bem! Há parlamentares que insistem no paradigma simbólico do ruminante que come a cana, esterca a terra, onde mais cana é plantada, que retorna ao ruminante, num ciclo repetitivo, com uma pequena margem que é objetivamente direcionada para a produção de combustível. Nós, conjuntamente com nossa base aliada, pedimos vistas deste projeto, que nos parece retrógrado e perdulário. E qual é a solução alternativa que os senhores estão propondo? Nós, conjuntamente com os nossos correligionários, propomos uma Comissão de Estudos para a criação de um ruminante que secrete diretamente o álcool, eliminando várias etapas e intermediários. Mas isto é possível nobre deputado? É uma questão de tempo. Depende exclusivamente de alguma licitações entre departamentos de pesquisa e da liberação das verbas necessárias durante o processo analítico. Muito obrigado deputado. Onde o senhor vai agora? Vou dar uma mijada, quer vir comigo? Não, muito obrigado de qualquer forma. Falamos daqui numa exclusiva entrevista com o nobre e famoso deputado… (como é mesmo o nome dele?).

Anúncios
Explore posts in the same categories: Piadas, Política

Tags: , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

6 Comentários em “A verdadeira história de como nasceu a vaca que mijava combustível.”

  1. Franci23 Says:

    O pior e que eles ajem dessa exata maneira e nos nunca, nunca mesmo, lembramos os seus nomes!

  2. romacof Says:

    Franci23! Os políticos, em princípio (bem no princípio, mesmo) são pessoas boas e bem intencionadas. É NOSSA a culpa por eles ficarem assim(esquecidos, mal intencionadinhos, alguns roubando um pouquinho, e coisas do tipo)! Nós votamos neles e nem sabemos os nomes dos caras. Nós contratamos os caras e não lembramos pra eles, de vez em quando, pra não encher muito o saco deles: “Ei! Você é um empregado, lembra? Eu botei você aí para trabalhar como meu representante, lembra?” Aí os caras ficam se achando. A barriga incha. O olho cresce. O bolso estufa. O ouvido entope. TUDO CULPA NOSSA.

  3. camargo Says:

    e já tem um projeto que vai gerar uma quantidade de jetons que podem até estimular a bovespa a quebrar records de pontos, que é as vacas com tetos longos e válvulas reguláveis, por onde nâo se perderá nenhuma gota de àlcool. Já está sendo rabiscado o projeto (e muitos jetons) que vai estimular a produção de bezerros flex, que vão se elimentar tanto de leite como de etanol, com uma autonomia de milhares de quilômetros.

    • romacof Says:

      …e nós, da Basaliada, estamos mobilizando todos os nossos móbiles contra os argumentos da coligação “Cólicas no Calção”, que afirma que a criação do bezerro flex deve ser estendida para os “baby flex”. Eles só podem estar brincando!!! Além da geração de alcoólatras eles sabem perfeitamente que isto evitaria que a vaca evacue no vácuo numa peristalse paronímica potencialmente explosiva !

    • romacof Says:

      É verdade! Quando li seu comentário fiquei tentado a escrever “Fiquei devendo”, porque o post era velho. Mas é por aí. O pior é que no CQC dói “nim nóis”.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: