Silogismo

 Há certas palavras tiradas do fundo do baú que, quando nós compreendemos o seu significado, são perfeitas para elucidarem alguns mistérios. Silogismo, numa preciosa síntese extraída do Aurélio, quer dizer: “Dedução formal tal que, postas duas proposições, chamadas premissas, delas, por inferência, se tira uma terceira, chamada conclusão.” Exemplo: Eu gosto muito de queijo e sei que o queijo é feito de leite. Eu tenho um bovino que tem um ubre e quatro tetas que ordenhadas me fornecem leite, e eu tenho um outro bovino que tem um saco e um pênis que por mais que eu ordenhe não me fornece leite, logo concluo que um bovino com um ubre e tetas pode ser um animal muito útil para quem gosta de queijo.

As lideranças partidárias do legislativo brasileiro se reuniram para discutir se transformavam em lei a proposta chamada de “Ficha Limpa”. Para quem chegou de Marte ainda hoje e está por fora destas picuinhas surreais do picadeiro dos engravatados eu explico: Há (acredite, os há!) políticos que estão tentando fazer valer para as próximas eleições a seguinte norma: Só podem concorrer a cargos eletivos os políticos que não estiverem em débito moral ou pecuniário com a nação, com você, comigo, conosco. Estes, em princípio (e depois eu volto), estariam com a ficha limpa, os outros, os de “Ficha Suja” seriam barrados no baile. Em outras palavras é como se você estivesse dirigindo o seu carro e uma velhinha, atáxica e frágil, estivesse atravessando lentamente a rua. Não há necessidade de placas, cartazes e sinais luminosos e sonoros lhe advertindo aos berros: “NÃO MATE A VELHA SENHORA!” Isto é tácito. Antigamente se diria que é de uma obviedade ululante. Mesmo assim, em nosso parlamento, há necessidade desta lei incontestável: “NÃO DEIXEM OS LADRÕES GANHAREM A IMUNIDADE QUE O VOTO LHES CONFERE.” Ter que criar esta lei estupra a razão. Ou, traduzindo, fode com a lógica. Ter que criar esta lei é um mudo reconhecimento da triste realidade da corrupção na política nacional.

Quando falei “em princípio estariam com a ficha limpa” eu disse que voltaria. O que é estar com a ficha limpa? Collor não foi deposto por criar carpas japonesas no laguinho da Casa da Dinda. Cumpriu pena de afastamento sem responder à justiça comum e hoje é senador. José Dirceu e Roberto Jefferson, os mensaleiros antagonistas, estão quites com a justiça eleitoral, e se houve milhões ou mensalões isto caducou! Atropelaram a velhinha mas ninguém viu.

E o silogismo? Onde entra? Porque as lideranças não aprovaram a lei? Quem perde se a lei da “Ficha Limpa” vingar? Os líderes? Os padrinhos? Os afilhados? O fisiologismo? Nós sabemos quem perde: Os ladrões! Então, nobres líderes, façam caras sérias, olhem circunspectos para os papeis sobre a mesa, não deixem rugas em seus ternos impecáveis, cuidado com o cafezinho nas gravatas, posem para a foto que estampa as capas dos jornais, e digam que não é o momento de atender a sociedade nesta questão. Mantenham a massa ignorante sobre a honestidade de seus políticos E matem a velha!

Anúncios
Explore posts in the same categories: Leis, Política, Realidade

Tags: , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

11 Comentários em “Silogismo”

  1. Franci23 Says:

    Concordo plenamente com deixar a massa ignorante, não merecem ajuda ou algum escrupulo vindo de seus líderes.
    Enquanto ao exemplo de “silogismo” dado no priomeiro parágrafo, podemos dizer que se ordenhar um bovino com penis e saco tambem pode dar leite, porém provavelmente não dará um queijo muito saboroso e nem um pouco agradavel.

    • romacof Says:

      Não concordo com deixar a massa ignorante. Estou tentando mexer a massa para ver se ela cresce. Quanto ao queijo feito do leite extraído do pau do touro confesso que não me apeteceria nem um pouco.

  2. Alan Says:

    matou a pau!

  3. Jaime Says:

    detesto levar para esse lado, mas… “NÃO MATE A VELHA SENHORA” já foi uma frase dita por John Elkannse. Todas as coisas podem ter vários sentidos, aliás, outras, são contidos.

  4. Jaime Says:

    Só mais uma coisinha… por vezes fico puto e confio que o voto nulo (ou “grito de basta”, ou como queira chamar…) um dia dará resultado, mas na maioria das vezes fico puto, muito mais puto do que quando acredito, me aborreço com o rumo certo da vida, e vou jogar Xadrez. Sempre que isso acontece ganho no Xadrez. Ando ganhando bem mais que perdendo.

  5. romacof Says:

    Devo concluir, já que estamos falando de silogismos, que enquanto se estiver puto com o rumo que as coisas tomam a probabilidade de se ganhar no xadrez é maior? Logo se você quizer ser um vitorioso no xadrez é interessante que as coisas permaneçam imputecentes?

      • romacof Says:

        Entendi! A felicidade é algo que se busca para poder jogar fora e ficar infeliz, para poder criar e se sentir realizado, e assim conquistar a felicidade, que uma vez alcançada é jogada fora, e assim ad eternum… Neste ciclo o objetivo parece ser o criar, logo permaneçamos infelizes para poupar passos no processo, e tenhamos o cuidado de só criar coisas medíocres para não corrermos o risco de alcançar acidentalmente a realização e ficarmos felizes, o que seria um enorme corta-barato! Enfim, um silogismo erístico! Entendi tudo.

        • Jaime Says:

          Mais ou menos… mas completando, com uma frase de um dos poucos amigos que tenho vindo do Norte… “Adoro os dias frios, chuvosos e cinzentos, que me deixam plenamente feliz de tanta tristeza”. (ed. balod)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: